04/04/2009

Rendo a memória. Soldadinho de chumbo flechado no pátio do Forte Apache. Ginevra de Benci presente feito a chuva. Daisy baila na pontinha do pé a me azucrinar, quase alada, os caiaques sem retorno. Cathy me atira em brasa no Atlântico, cru que nem iguaria de tamoio. Ema me encara: o rancor nos olhos de Ema. Caço pistas. Se me for chamar, chame Doghouse Reilly. Carne é comburente. Às vezes aspersão, outras tempestade de verão. Azucrinado, me ponho a criar sapos em mimetismo de serpente. Se moral há, série de flexões é.

22 comentários:

bingo! disse...

A beleza adorna a virtude. Errei?

Eu disse...

e a Rita, onde fica?

Heathcliff in the rain disse...

I belonged to him. He was my life, my being.

Rita Cadilac disse...

I'm singing in the rain
aaaaahhhhhh
Just singing in the rain
uuuuuuhhhhmmmmmmmm
What a glorious feeling
ah ah ah aaaaahhhhhmmmmmmmmm
I'm happy again
oh yeah oh yeah yeah yeah

dentro e fora disse...

So we beat on, boats against the current, borne back ceaselessly into the past.

Dei uma dentro?

Escrevendo poesia disse...

"...ela era alguém de quem eu nem lembrava, no entanto a presença se fez tão real quanto a chuva!"

do pandeiro disse...

A Ema gemeu
no tronco do juremá

with the first hello disse...

história (de amor????) mais doida, hem? azucrinante demais, cruz do meu credo!

love at first sight disse...

aí hein caramuru!

Crys disse...

Algumas pessoas passam na vida da gente e deixam um pouquinho de si.
Outras passam e levam um pouquinho de nós...
Entretanto, há aquelas que não passam... e Ficam!

femme de chambre disse...

E tem aquelas q só passam roupa...

passando o ferro disse...

passa boi, passa boiada

Andrea Liette disse...

eu de passagem.
Muito bom.
Andrea

Luiz Ignacio disse...

é preciso considerar, conforme o fez Lacan, que o sujeito é um efeito do discurso

noca pardoca disse...

ei, Luiz Ignacio, deixa o telefone da fono que o pariu

Uuhhuuuu!!!!!! disse...

história de encontro e desencontro é sempre um sucesso

adevogado da ema disse...

Teje intimado a prestar maiores esclarecimentos!

ema, ema, ema disse...

cada um com seus pobrêma!

não me chamem Vera Pedroso disse...

Uma voz rouca se elevou na rua a cantar... em belos dias o calor faz sonhar com o amor... Ema reconheceu a voz do cego e ergueu-se, parecia um cadáver ressuscitado. Pôs-se a rir desesperadamente. Uma convulsão a fez tombar. Todos olharam para Madame Bovary que não mais existia.

Cherry disse...

Serpente? Bom, em tempos de 'caminhos da índia', quem sabe a flauta mágica esteja ajudando, né?
Enfim... eu lá falando da espetaculosa Cida e vc aqui, brincando de Stephen King igual tantos outros...

personal trainer disse...

uma...duas...tres...vc aguenta até qtas????

Humpty Dumbty disse...

Devia ter uma Alice em algum lugar.